08.12.2014

Praias de Alter do Chão: passeios, melhor época, como ir e o que fazer

Praias de Alter do Chão: passeios, melhor época, como ir e o que fazer

Eu já estava planejando minha viagem a Manaus quando um amigo paraense veio a Curitiba e me falou de Alter do Chão. Fiquei tão impressionada com as fotos dele que mudei o roteiro. Como a passagem promocional que eu tinha pra Manaus exigia ida e volta, acabei aumentando o tempo de viagem e encaixando um voo de uma hora entre Manaus e Santarém, no Pará, onde fica a vila de Alter.

Os dois destinos são totalmente diferentes, claro. Em Manaus, você encontra uma metrópole. Em Alter do Chão, descansa entre casas de pescadores, pousadas e cajueiros carregados. Tudo ainda gira em volta da pracinha da igreja onde os padres jesuítas fundaram uma Missão em 1738 sobre a aldeia de índios borari.

Igreja Alter do ChãoPor isso mesmo, Alter é uma bela porta de entrada alternativa para a Amazônia. A partir da vila, você chega à Floresta Nacional do Tapajós, um dos pedaços mais preservados da Floresta Amazônica. Conto como foi minha experiência lá aqui:

Jamaraquá: Entre o Tapajós e a Floresta Amazônica
Na trilha pela Floresta Nacional do Tapajós

Ilha do Amor em Alter do ChãoE é por causa do Rio Tapajós que Alter é o que é. O Amazonas é incrível, o Rio Negro tem seu charme. Mas o Tapajós ganha de lavada no quesito beleza cênica, com suas águas azuis e praias de areia branquinha que aparecem quando as águas baixam entre os meses de agosto e dezembro.

É quando surge também a Ilha do Amor, na verdade um banco de areia separado de Alter do Chão apenas por uma faixa estreita de água. A travessia é feita em barcos a remo, o que aumenta a sensação de que você está indo para um pedacinho de paraíso.

Ilha do Amor em Alter do Chão II

Ainda pouco conhecida por aqui, a vila ficou famosa fora do Brasil quando entrou numa lista das praias mais bonitas do Brasil feita por um jornal inglês. De lá pra cá, o número de hotéis se multiplicou. Muitos aldeões venderam suas propriedades e foram morar em local mais afastado, já batizado de ” Nova Alter”.

Ainda assim, a vila nem de longe se parece com um balneário badalado.A infraestrutura melhorou, há bons lugares para se hospedar e comer, mas tudo ainda tem um jeito muito simples. Apesar do número grande de estrangeiros, movimento grande mesmo só tem nos fins de semana de temporada.

Barqueiros Alter do ChãoIlha do Amor em Alter do Chão III
É quando os moradores de Santarém, que fica a 38 km de distância, invadem a vila disputando cada palmo de areia e água. O braço de rio entre a vila e a Ilha do Amor vira uma avenida movimentada com dezenas de barcos a remo indo e vindo de um lado para o outro.

O auge do agito ocorre na segunda semana de setembro, durante a tradicional Festa do Sairé. A batalha dos botos, com música e dança no ritmo do carimbó, aumenta em até 10 vezes a população do vilarejo. Quando a festa acaba ou a segunda-feira chega, a maioria dos visitantes vai embora e Alter volta à sua vida pacata de sempre.

São os melhores dias para se estar aqui, passear na vila e passar horas aproveitando as águas mornas e a areia fina da Ilha do Amor.

Caoneiro na praia da Ilha do Amor

Caoneiro na praia da Ilha do Amor

Praias do Tapajós  post P1020502_editedDe uma lado, as paisagens mais bonitas do Tapajós. De outro, o lugar perfeito para o banho , a praia diante do Lago Verde, uma porção de rio quase separada do resto pelo banco de areia. Você coloca os pés na água transparente e enxerga um degradê de cores que vai do verde ao azul profundo até o horizonte coberto por florestas.

Vista de Alter a partir da Ilha do Amor tamanho postP1020324_editedA boa vida termina quando o sol começa a se pôr sobre o Tapajós. Enquanto a vila em frente se ilumina, as barracas da enseada começam a fechar as portas e barqueiros levam os últimos visitantes.

——————————————

Como ir a Alter do Chão

Alter do Chão fica a 38 km do aeroporto de Santarém pela PA- 457. Todos os voos para a cidade têm escala em Manaus ou Belém. Também é possível chegar de barco a partir das duas capitais em viagens que duram de dois a três dias.

Do aeroporto a Alter, o trecho é todo asfaltado e os taxistas cobram em média R$80,00. É possível também pegar o ônibus de linha em alguns pontos no centro de Santarém.

Barqueiro em Alter do Chão Barqueiros uniformizados de uma associação local fazem a travessia da vila até a Ilha do Amor por preço único. No final do período de seca, quando as águas estão no seu nível mais baixo, a passagem de um lado para o outro chega a ser feita a pé.

Melhor época para conhecer Alter do Chão

O melhor período para aproveitar as praias de Alter do Chão é entre os meses de agosto e novembro, quando as águas baixam e as praias aparecem. Dependendo do ano, é possível encontrar praias em dezembro mas é bom se informar primeiro. Depois o rio volta a subir chegando a encobrir completamente a Ilha do Amor.

Se quiser aproveitar a Festa do Sairé, em setembro, reserve hospedagem com bastante antecedência. E prepare-se dividir a praia com uma multidão. Fora deste período, prefira os dias de semana se quiser tranquilidade.

Onde ficar em Alter do Chão

Ficamos na Pousada Agualinda, há duas quadras do centrinho de Alter. O lugar é simples, mas aconchegante, com bom café da manhã, pessoal atencioso e preço razoável. Não tem água quente, o que não chega a ser um problema diante do calorão que faz por aqui.

A vila tem inúmeras outras pousadas, algumas bem básicas. Veja a lista no site www.alterdochao.tur.br e ligue antes para se certificar do que vai encontrar.

Os melhores hotéis são o Mirante da Ilha e o Beloalter. O Mirante tem localização privilegiada na orla, com vista para a Ilha do Amor. Já o Beloalter fica um pouco mais afastado mas tem uma pequena praia particular e um bom restaurante.

Pousada Agualinda
www.agualindahotel.com.br
Fone: (93) 3527-1314

Hotel Beloalter
www.beloalter.com.br
Fone: (93) 5593 3527

Hotel Mirante da Ilha
www.hotelmirantedailha.com.br
Fones: (93) 3527 1268/3527 1222/3527 1110

Onde comer em Alter do Chão

Costela de Tambaqui, prato clássico e delicioso da Amazônia.

Costela de Tambaqui, prato clássico e delicioso da Amazônia.

O restaurante Carauary, do Hotel Beloalter, é um dos melhores. Você pode comer peixe e pratos nordestinos também nos restaurantes menores da orla e no centrinho de Alter do Chão.

O Restaurante Piracuí, em frente à praça central, serve boa comida caseira à base de peixe regionais: surubim, tucunaré e pirarucu. Os pratos são generosos e o preço compensa. Os sucos também são ótimos.

Os restaurantes da vila tem o tradicional Pato no Tucupí no cardápio, mas é preciso encomendar o prato um dia antes.

Dona Glória com seus doces preparados para viagem.

Dona Glória com seus doces preparados para viagem.

Não deixe de experimentar os doces paraenses. As bancas em frente à praia vendem os tradicionais bombons com recheio de castanhas e frutas amazônicas. Mas se você gosta mesmo de doces , vá até a casa da Dona Glória, a doceira mais famosa da cidade. Além dos bombons, ela prepara receitas especiais de geleias e licores. Dá pra comer e levar para os amigos.
Endereço da Dona Glória: Rua D. Macedo Costa, 560

O que fazer em Alter do Chão e região

Além da Ilha do Amor, dá para aproveitar também a Praia do Caju. Fica pertinho do centro, na continuação do calçadão.

Vários passeios pelo Rio Tapajós partem de Alter do Chão. Os mais tradicionais levam ao Canal do Jari, ao Lago Verde e às praias de Ponta das Pedras e Ponta do Cururu.

A partir de Alter pode-se chegar também à Floresta Nacional do Tapajós por terra ou por barco. Fica um pouco mais distante mas vale a pena ir para conhecer a floresta e as comunidades ribeirinhas, como Jamaraquá. Veja o caminho por terra aqui.

Araribá em tamanho post P1020368_editedNa vila, não deixe de conhecer a Loja de Artesanato Araribá. Com um acervo impressionante de peças produzida por mais de 80 grupos indígenas, o lugar parece um museu. Tem peças de cerâmica e madeira, cestaria, máscaras rituais, instrumentos e ornamentos de estilos, tamanhos e preços variados. A loja fica na Rua Dom Macedo Costa, perto da praça central.

Fotos: Cassiana Pizaia

———————-

Quer mais informações e dicas de turismo em Alter do Chão?

Dê uma olhada nos outros posts do blog sobre a região.

De Alter do Chão às surpresas do Canal do Jari
A caminho da Floresta Nacional do Tapajós
Jamaraquá| Entre o Tapajós e a Floresta Amazônica
Na trilha pela Floresta Nacional do Tapajós

postado por Cassiana Pizaia
  1. 7 jan2015
    Mario Bogoni

    Parabéns Cassiana, seu projeto esta maravilhoso, desperta a vontade de viajar para estes locais lindo, estarei acompanhando.

    • 12 jan2015
      Cassiana Pizaia

      Obrigada, Mario. Seja bem-vindo!

  2. 9 mar2015
    Gabriel

    Muito legal!!!!!!!

    • 9 mar2015
      Cassiana Pizaia

      Que bom que você gostou, Gabriel. Foi muito divertido viajar para Alter do Chão com você. Beijos!

  3. 9 mar2015
    Gabriel

    Ta td muito lindo!!!!!! Mesmo.

  4. 22 fev2016

    Que delicia tua pagina estou me oganizando pra proxima viagem
    No mês de novembro valmos ficar 3 meses no brasil
    É gostamos de lugares tranquilos
    Mais agora como a familia cresceu somos em 4 duas crianças fica um pouco dificil
    Gostaria da tua opinião sobre levar crianças a ALTER DO CHÃO??
    Minhas perquenas são acustumada com viagem de barco esta coisas
    Obg

    • 24 fev2016
      Cassiana Pizaia

      Suas crianças vão adorar Alter do Chão, Roberta! A vila é tranquila, bastante segura e com opções de alimentação saudável e gostosa. Se vocês forem no período de seca, a partir de setembro, vão poder aproveitar as praias da Ilha do Amor, que são rasas e tranquilas. A infraestrutura das principais pousadas também é boa mas não há serviço de recreação ou cuidados específicos ( tipo resort). É um lugar simples e gostoso para aproveitar em família mesmo. Quanto aos passeios, você pode optar pelos que levam a locais mais próximos ( Lago Verde, por exemplo). Só preste atenção no barco que escolher ( se tem cobertura, coletes e faz parte da associação de barqueiros), leve protetor solar, repelente, água e lanche. O passeio à Floresta Nacional do Tapajós pode ter restrições para crianças muito pequenas por causa da caminhada longa e da estrutura mais rústica de hospedagem. Mas, se quiser ir até lá, você pode optar por excursões de um dia inteiro em barcos grandes que saem de Alter do Chão. Espero ter ajudado. Abraço!

  5. 6 abr2016
    Alex Balint

    Parabens pelo Blog.

    agora tem voos para Santarem saindo de Brasilia.

    • 7 abr2016
      Cassiana Pizaia

      Obrigada, Alex. Ótima notícia!

  6. 4 maio2016
    Vanderley Magalhães

    Excelentes textos; obrigado pelas dicas e detalhes dos roteiros.

    • 9 maio2016
      Cassiana Pizaia

      Obrigada, Vanderley. Boa viagem pra você!

  7. 12 maio2016
    Rjunior

    Cassiana, Gostei muito das dicas. Sou paraense mas ainda não conheço Alter do Chão. No final de julho já dá pra passear na Ilha do Amor? ou ainda vai estar submersa ?
    Parabéns pelo trabalho. Grande abraço !

    • 13 maio2016
      Cassiana Pizaia

      Olá, Rjunior. Em condições normais, as praias começam a aparecer na Alter do Chão a partir de agosto. Em novembro, as águas atingem o período mais baixo. Viajando em julho, é provável que você encontre a Ilha do Amor ainda esteja submersa. Obrigada pelo retorno!

  8. 17 maio2016

    Oi Cassiana,
    O seu blog caiu do céu! tudo prontinho!
    Eu e meu filho participaremos da Jungle Marathon em out de 2016. Estavamos nos batendo para organizar um bom planejamento de férias no Flona após a maratona. Até que encontramos sua página com tudo e mais um pouco do que precisamos para nos organizarmos.
    Muito obrigado
    Sérgio Braga – Curitiba
    http://sergiobraga.blogspot.com.br/

    • 17 maio2016
      Cassiana Pizaia

      Gente, dizem que a Jungle Marathon, que acontece no meio da selva, é uma das provas de resistência mais difíceis do mundo! Só para os fortes mesmo. Sergio, força aí e boa sorte para você e seu filho! Obrigada!

  9. 11 jul2016
    Marina

    Ola Cassiana! Amei seu site. Suas fotos são incríveis e as dicas também.
    Estou organizando minha viagem para Alter e gostaria de saber quantos dias você recomenda para ficar lá.
    O passeio para a Floresta Nacional Tapajós pode ser feito em um dia, voltando para Alter, ou é necessário dormir por lá?
    Desde já agradeço,
    Marina

    • 11 jul2016
      Cassiana Pizaia

      Marina, é possível conhecer a Floresta Nacional do Tapajós em passeios de barco de um dia partindo de Alter do Chão. Dá pra contratar com agências ou diretamente com os barqueiros, mas não se esqueça de pedir pra eles reservarem o almoço numa comunidade e guia para percorrer as trilhas ( se já não estiver incluído). Eu posei em Jamaraquá e gostei muito da experiência. Veja como foi neste post: http://www.outrasterras.com.br/jamaraqua-entre-o-tajapos-e-a-floresta-amazonica . Se não se hospedar na comunidade, acho interessante ficar no mínimo 3 dias inteiros em Alter ( um pra Flona, outro para um passeio ao Jari e outro só pra curtir as praias da Ilha do Amor), o que daria 4 ou 5 diárias de hotel dependendo do seu voo. Se for pousar na Flora, no mínimo 4 dias inteiros. Eu que agradeço!

  10. 11 jul2016
    Marina

    Muito obrigada pela resposta Cassiana!

    Seu blog é excelente! Tomara que você continue postando as dicas das suas viagens.

    Marina

  11. 2 set2016
    Ana Paula

    Boa tarde. Gostaria de ir pra alter no carnaval/2017. Vc acha fevereiro uma época boa para ir?

    • 5 set2016
      Cassiana Pizaia

      Se seu objetivo for conhecer as praias, não é uma boa época, Ana Paula. Em fevereiro, você vai pegar o período de cheia no Tapajós, quando as praias e a Ilha do Amor ficam completamente cobertas pela água. Mas é possível fazer passeios de barco e as trilhas da Floresta Nacional do Tapajós. Veja nosso post sobre a Flona. Abraço.

  12. 11 nov2016
    james ferreira

    Parabéns Cassiana. Melhor que Guia Turístico. As fotos, dúvidas sobre pousada, hotéis, alimentação, passeio. Já era curioso pra conhecer alter do Chão. Agora, fiquei apaixonado pelo local.

    • 21 nov2016
      Cassiana Pizaia

      Alter do Chão é realmente um lugar apaixonante. Vale a pena conhecer. Obrigada, James!

  13. 20 nov2016
    rayssan

    no mes de junho e bom de viajar para alter do chaọ

    • 21 nov2016
      Cassiana Pizaia

      Rayssan, em junho você ainda vai pegar o Rio Tapajós cheio, quando as águas encobrem as praias e a Ilha do Amor. Para pegar praia, vocês teriam que viajar entre agosto e novembro. Na época de cheia, dá para fazer os passeios de barco e conhecer a Floresta Nacional do Tapajós ( vejas posts no blog). Abraço.

  14. 20 nov2016
    rayssan

    cassiane ola gostaria de ir para alter..com minha familia 2 adulto e 2 crianca o que vc me indica quero passar o minimo 5 dias no mes de junho

  15. 7 jan2017
    Nilza Souza dos santos

    Olá Cassiana adorei suas dicas ,foram perfeitas , agora pelo Carnaval é uma boa época de conhecer alter e aproveitar todas as suas maravilhas , ficaria 5 dias na cidade. Aguardo resposta , obrigada!.

    • 8 jan2017
      Cassiana Pizaia

      Olá,Nilza. No carnaval, o rio Tapajós já vai estar no período de cheia, quando as praias ficam cobertas pela água. Para aproveitar as praias, seria melhor ir a partir de agosto ou setembro. Se você quiser mesmo viajar no inicio de março, pode fazer outros passeios pelo rio e visitar a Floresta Nacional do Tapajós. Abraço.

  16. 13 mar2017

    Olá, amei as dicas. Quantos dias você recomenda para conhecer tudo? Um fim de semana é pouco?

    • 18 maio2017
      Cassiana Pizaia

      Dayana, eu acho que dois dias é pouco para fazer os principais passeios. Com um fim de semana, você vai aproveitar apenas a Ilha do Amor e, no máximo, fazer um passeio de barco pelas redondezas. Eu recomendaria pelo menos 4 dias inteiros para aproveitar melhor a região. Obrigada!

Deixe seu comentário: