15.01.2015

Cataratas | Um cartão-postal de 120 milhões de anos

Cataratas | Um cartão-postal de 120 milhões de anos

Quando você entra na trilha no lado brasileiro das Cataratas do Iguaçu ê vê pela primeira vez a magnífica série de quedas , fica sem reação por alguns segundos.

Respire fundo e olhe mais um pouco antes de tirar a primeira foto.

Turistas diante das cataratasSim, é uma das paisagens mais vistas e fotografadas do mundo. Mas é também um gigantesco museu a céu aberto. Uma exposição rara das grandes mudanças que ocorreram no Planeta Terra nos últimos 120 milhões de anos.

Na trilha das cataratasA trilha de 1200 metros é tranquila o suficiente para a gente se preocupar apenas com o cenário. O lado brasileiro das Cataratas é quase um camarote de luxo diante da maior parte das quedas que fica do outro lado do rio, na Argentina.

Quedas do Iguaçu em DegrausTodo este cenário foi formado pelo maior derramamento de lavas da história do planeta. Resultado da separação dos continentes durante o período Cretáceo, a época de ouro dos dinossauros e também de sua extinção.

Cada degrau das cataratas mostra o limite dos três grandes derrames de lava que cobriram a região. A parte superior de cada um é mais resistente, suportando os desmoronamentos da camada de cima.

Quedas em janeiro de 2015.

Quedas em janeiro de 2015.

Chegamos logo depois de uma chuvarada. A água está escura, o rio cheio, o caminho quase escondido pela névoa. Nestas condições, o número de quedas pode passar de 150 para até 270! Bem diferente da visita que fiz em agosto passado após um período de seca. Compare:

Quedas em agosto de 2014.

Quedas em agosto de 2014.

Entro finalmente na passarela que avança sobre o rio em direção à Garganta do Diabo. Quem olhar lá do outro lado, da Argentina, verá que estamos exatamente sobre o patamar da segunda camada de lava que um dia escorreu por aqui.

Passarela entre as os níveis das CataratasÉ o ponto alto da visita. Na Garganta do Diabo, a parte mais profunda do arco das quedas, as rochas praticamente desaparecem sob a água e o vapor.
Fica fácil entender porque as cataratas continuam subindo o rio.

Isso mesmo, a cada ano o espetáculo do Iguaçu muda um pouquinho de lugar. De centímetro em centímetro, ele já “percorreu” 21 quilômetros.

Encontro dos rios Paraná e Iguaçu. As cataratas nasceram aqui.

Encontro dos rios Paraná e Iguaçu. As cataratas nasceram aqui.

O ponto de partida desta jornada incrível foi diante de outro gigante, o Rio Paraná. Hoje você pode ver o encontro tranquilo dos dois rios lá no Marco das Três Fronteiras. Mas já foi diferente.

Com quase 3 mil quilômetros, o Paraná é o segundo maior rio da América do Sul, atrás apenas do imbatível Amazonas. E tem força para cavar um leito mais profundo que todos os seus afluentes, inclusive o Iguaçu.

Barco nas cataratasA diferença de nível entre eles criou as cataratas. Mas a erosão provocada pela água foi afastando as quedas da foz e esculpindo um grande canyon no caminho.

Fazer o passeio do Macuco Safari, dentro do parque, ajuda a entender e sentir este impacto todo.

Lá embaixo, na margem do rio, pisamos na mais antiga camada de lava que os vulcões do Cretáceo expeliram. E navegamos contra a correnteza até quase o final do canyon, diante de uma muralha d´agua de 80 metros de altura.

Parede cataratasAqui a largura máxima do Rio Iguaçu, espremido entre as paredes do canyon, é de 65 metros. Antes de entrar no funil das cataratas, suas águas se espalham por 1200 metros de largura.

É para onde vamos, subindo o elevador panorâmico cachoeira acima no final da trilha principal. O espaço Porto Canoas fica nas margens do Iguaçu, poucos metros antes das quedas.

Pra conhecer melhor este rio, que nasce na Serra do Mar e atravessa todo o estado do Paraná, pegamos o barco no final da trilha do Poço Preto, (outro passeio opcional do parque).

Rio Iguaçu antes das Cataratas.

Rio Iguaçu antes das Cataratas.

Atravesso um dos últimos espaços de Mata Atlântica no interior do Brasil. E, no fim do dia, encontro um rio calmo, com ilhas e as margens cobertas por matas.

Papagaios e outros pássaros se preparam para o pouso em grandes revoadas. Um contraponto tranquilo à beleza explosiva das cataratas.

Fontes:

www.mineropar.pr.gov.br
www.icmbio.gov.br/paranaiguacu

——————————————-

Guia Rápido das Cataratas – Lado Brasileiro

Como chegar e circular no Parque Iguaçu

A entrada para as cataratas fica na Avenida das Cataratas, há 1,6 quilômetros do aeroporto de Foz do Iguaçu, 12,5 quilômetros da cidade e 8,5 quilômetros do acesso à Argentina.

Carros particulares não são permitidos dentro do parque. Há um amplo estacionamento pago do lado de fora.

No Centro de Visitantes, além dos guichês, você encontra serviço de informações, lanchonetes e loja de souvenires.

Ônibus CataratasOs ônibus do parque levam os turistas até o Espaço Porto Canoas, com paradas no início das trilhas das Cataratas e dos passeios opcionais.

Quanto custa a entrada do Parque Iguaçu

A partir de fevereiro de 2015, a entrada para brasileiros vai custar R$31,30. Crianças e idosos pagarão R$8,00.

Para moradores da região de Foz, o valor será de R$ 9,50 para adultos e de R$5,50 para crianças.

Já está incluído o transporte dentro do parque, o fundo Iguaçu e o passeio pela Trilha das Cataratas.

O estacionamento para os carros passa para R$19,00 também a partir de fevereiro.

Como são e quanto custam os Passeios Opcionais no Parque Iguaçu

Nos três principais passeios opcionais do parque, o visitante percorre uma trilha no meio da mata até o ponto de embarque dos passeios de barco pelo Rio Iguaçu.

No Macuco Safari, a trilha leva à parte baixa do rio. Os barcos navegam contra a correnteza até chegar bem perto das cataratas. Espere emoção e um banho de vapor e água embaixo das quedas.

A Trilha do Poço Preto e a Trilha das Bananeiras chegam a pontos diferentes do rio antes das cataratas.
A parte terrestre da Trilha das Bananeiras é mais curta, apenas um quilômetro e meio, mas o trecho percorrido na água é basicamente o mesmo.

Passeio do Poço PretoEu preferi a Trilha do Poço Preto. Muita gente percorre os 9 quilômetros de bicicleta ou a pé mas eu optei mesmo pelo carro elétrico.

Foi uma boa maneira (e menos cansativa!) de conhecer o interior do Parque Nacional com as explicações de um guia sobre as plantas e animais da região.

Fizemos o último passeio do dia, com o sol se pondo sobre o Rio Iguaçu. Na volta, uma revoada de vaga-lumes.

Preço Macuco Safari: R$ 179,00
Preço Trilha das Bananeiras: R$ 105,09
Preço Trilha do Poço Preto: R$ 135,00
(valores de janeiro de 2015)

FOTOS: CASSIANA PIZAIA

postado por Cassiana Pizaia
  1. 16 jan2015
    adriana

    Lindo texto!!! Este roteiro é obrigatorio para qualquer turista….. já fui varias vezes e sempre volto….

    • 16 jan2015
      Cassiana Pizaia

      Foz do Iguaçu é mesmo um lugar para se voltar várias vezes. E será sempre uma nova viagem. Obrigada, Adriana!

  2. 23 fev2015

    Excelente matéria! Texto e fotos de uma sensibilidade rara como as Cataratas.

    Compreendemos as inúmeras dificuldades em gerir uma Unidade de Conservação Federal deste porte, como é o Parque Nacional do Iguaçu, e sabemos que ainda temos muito a evoluir, mas estamos no caminho. E com certeza, essa Natureza toda além de bela, merece ser conhecida, compreendida e preservada.

    Obrigado pela visita e compartilhar! Volte sempre.
    Um forte abraço da Equipe do Parque Nacional do Iguaçu/ICMBio.

    Atenciosamente,
    Rafael R Machado

    • 24 fev2015
      Cassiana Pizaia

      Obrigada, Rafael. Acho que sempre apreciamos mais o que conhecemos melhor. Bom trabalho!

  3. 13 jan2017
    Stefania Schmeiske Pascoal Aranha

    Foz é o próximo destino da minha família!
    Obrigada pelas dicas. Vou aproveita-las no meu roteiro de viagem.
    Beijos!!!!

    • 17 jan2017
      Cassiana Pizaia

      Obrigada, Stefania. Beijos e boa viagem!

Deixe seu comentário: