19.12.2014

De Alter do Chão ao Canal do Jari: um passeio de barco entre rios, praias e histórias

De Alter do Chão ao Canal do Jari: um passeio de barco entre rios, praias e histórias

Uma das vantagens de conhecer Alter do Chão é que logo ali perto está uma das grandes encruzilhadas de rios da Amazônia. Poucos quilômetros rio acima, o Tapajós recebe o rio Arapiuns e este mundaréu de água deságua , logo depois, no grande Amazonas. No meio de tudo isso, entre águas, praias e mangues, fica o Canal do Jari, um dos lugares mais interessantes para se visitar na região.

Praia da Ponta de Pedras

Praia da Ponta de Pedras

A caminho do Canal do JariPara chegar lá, nosso barco foi margeando as praias de Alter do Chão até o ponto exato de atravessar o rio Tapajós de um lado a outro. São quase 20 quilômetros em, digamos, “rio aberto”. Se você estiver em barco pequeno, prepare-se para vento na cara e banhos pelo caminho.

Pouco antes do Tapajós desaguar no Rio Amazonas, uma última porção de terra divide os dois rios. É onde fica o Canal do Jari. Comprido e estreito como uma tripa, mas o suficiente para que as águas do Amazonas escapem até o outro lado.
Canal do Jari Tajapós Não é fácil entender o emaranhado de paisagens. Navegamos pelas águas do Amazonas, que chegam pelo canal natural. De um lado, após uma linha de terra, está o Rio Arapiuns, que deságua no Tapajós. Do outro lado, o próprio rio Tapajós. Atrás de tudo isso ainda dá pra ver a cidade de Santarém.

Como eu viajei na época de seca, deu pra ver bem os limites de cada um. Mas conforme as águas sobem, tudo vai se misturando, formando um ambiente que não é só rio, nem só terra, os dois se sobrepondo ou se afastando dependendo da época do ano.

Gavião no Canal de Jari É o território de jacarés, botos, garças e gaviões. Se ficar atento, você pode flagrar segundos de um sobrevoo ou de um salto para fora d’água. Também pode encontrar vitórias-régias se for época de chuvas.

Animais e barcos Canal do Jari No período seco, o rio deixa para trás traços de terra e grama para bois e cabras. Os criadores vivem atrás destes pastos móveis. Para aumentá-los, quase a toda a mata se foi.

Seo Dilson  Canal do Jari A exceção é o sítio do seo Dilson, nossa próxima parada. O homem simples de 79 anos nasceu no Tapajós e alimentou os 10 filhos criando animais na várzea.

Há 50 anos, ele percebeu algo diferente. Os bichos silvestres buscavam refúgio na mata que restava atrás da sua palafita. Deixou então de cortar as árvores maiores, abriu mão do pasto e deixou a natureza em paz.

Macaco Canal do JariPreguiça Jari Hoje, além de bois e cabritos, seo Dilson cuida dos macacos e preguiças que vivem no alto de sapucaieiras, castanheiras e sucupiras. Suas plantas e bichos ficaram famosos, agradam turistas do mundo inteiro.

Seo Dilson tem hoje casa em Santarém mas prefere ficar no Jari, de olho na criação e guiando os visitantes por seu pequeno pedaço de floresta.

Lago Negro Alter do Chão Fazemos o caminho de volta sem pressa, aproveitando o rio mais manso no final de tarde. Sem a mistura com o Amazonas, as águas do Tapajós voltam a ser azuis. O barco entra nas lagoas que se formam entre bancos de areia, passa pela bela praia da Ponta de Pedras.

Pôr do Sol Cururu  Alter do Chão Terminamos o dia em um deles, bem na Ponta do Cururu, com outro pôr do sol fantástico no Tapajós. Outra vantagem de estar em Alter do Chão.
Pôr do Sol na Ponta do Cururu

Fotos: Cassiana Pizaia

—————

Guia Canal do Jari | Informações importantes

Como ao Canal do Jari

Pode-se chegar ao Canal do Jarí a partir de Santarém ou de Alter do Chão. Sair de Alter é mais interessante porque você pode incluir outras atrações no passeio e ainda aproveitar a Ilha do Amor na volta. Veja mais sobre a Ilha do Amor e outras praias de Alter do Chão aqui.

Da vila, são 40 minutos de voadeira até o Canal. Procure os barqueiros da Associação de Turismo Fluvial, que ficam na orla de Alter. Eles cobram menos e negociam os horários e percursos. Diga que quer visitar os animais de seo Dilson.

Outra opção é contratar o passeio em agências de turismo no centrinho de Alter.

O que fazer

Quando for ao Canal, inclua também paradas para banho em Ponta de Pedras e, se fizer o passeio à tarde, termine com o pôr do sol no Cururu. O passeio completo, com o Jari e as praias, demora cerca de 5 horas. Negocie antes com os barqueiros

MAIS SOBRE ALTER DO CHÃO

Alter do Chão: Praias, passeios, quando ir, como chegar

PASSEIOS A PARTIR DE ALTER DO CHÃO

Jamaraquá| Entre o Tapajós e a Floresta Amazônica
A caminho da Floresta Nacional do Tapajós
Na trilha pela Floresta Nacional do Tapajós

postado por Cassiana Pizaia
  1. 5 jan2015

    Arrasou nas fotos, delicioso texto!

  2. 27 set2016

    Parabéns pelo blog e pelos posts sobre Alter do Chão e região. Finalmente irei conhecer este lugar e estou aproveitando a sua experiência.

    • 28 set2016
      Cassiana Pizaia

      Fico feliz em poder ajudar, Marcelo. Boa viagem pra você! Na volta, se tiver alguma dica ou informação bacana, compartilhe com a gente!

    • 30 set2016
      Cassiana Pizaia

      Obrigada, Marcelo!

  3. 3 out2016
    Bianca

    Gostei muito das dicas, estou indo para lá essa semana. Senti falta dos valores.

  4. 28 abr2017
    raymundo cortizo sobrinho

    Fotos maravilhosas. Já estive aí em 2016 e já programei voltar agora em setembro de 2017. Dicas importantes. Obrigado!

Deixe seu comentário: